Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Anthony Fauci prevê o regresso dos concertos aos Estados Unidos quando 70% da população estiver vacinada

O maior especialista norte-americano em doenças infecciosas aponta uma data para o regresso da música ao vivo, mas em condições rígidas e “se tudo correr bem”. Não é tão cedo como os mais otimistas esperariam

Numa conferência virtual organizada pela Associação de Profissionais de Artes Performativas, Anthony Fauci apontou o próximo outono como a data para o regresso da música ao vivo, nos Estados Unidos.

O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas alertou, porém, para o facto de que esse regresso só se poderá materializar caso a campanha de vacinação seja bem sucedida.

Segundo Fauci, a imunidade de grupo só poderá ser alcançada nos Estados Unidos quando 70-85% da população tiver sido vacinada.

"Se tudo correr bem, no outono os artistas poderão sentir-se seguros em palco, assim como as plateias", disse.

Apesar da vacina, o regresso nunca será de uma total normalidade: Fauci acredita que a obrigatoriedade do uso de máscara prossiga durante os meses de outono, a avisou que só as salas de espetáculos que se encontrem bem ventiladas poderão reabrir.

Torna-se, por isso, cada vez mais consensual admitir que uma certa normalidade não será possível antes do último quartel do ano não havendo, inclusive, grandes digressões planeadas para este ano.

Recorde-se que na próxima quarta-feira, 13 de janeiro, a Ministra da Cultura vai receber associações e promotoras de espetáculos, com vista a debater a realização de festivais e eventos de música durante 2021, em contexto de pandemia de covid-19.