Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

20 mil pessoas vão a festival de música sem máscaras ou distanciamento social

O maior festival de música da Nova Zelândia decorreu nos três últimos dias de 2020. E não foi o único a realizar-se no país da Oceânia sem qualquer medida de prevenção contra a covid-19. Uma razão: a pandemia ali não existe

O festival Rhythm and Vines, em Gisborne, Nova Zelândia, pôde realizar-se nos últimos dias de dezembro de 2020, juntando cerca de 20 mil pessoas.

O festival, que contou com as prestações de bandas como os Fat Freddy's Drop, não contou com quaisquer medidas de prevenção contra a covid-19.

A Nova Zelândia tem sido um exemplo raro de sucesso no combate contra a doença, não registando qualquer caso de transmissão comunitária do vírus há meses.

O Rhythm and Vines não foi, sequer, o único festival de música a realizar-se num país onde de momento é verão: o Rhythm & Alps, em Wanaka, juntou 10 mil pessoas, e o Northern Bass, em Mangawhai, também foi avante, realizando-se durante três dias e três noites.