Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Rui Veloso

Dito em 2020. Rui Veloso: “O Carlos Tê desligou-se, foi à vida dele. Fica difícil cantar qualquer coisa”

Em 2020, a BLITZ chegou à fala com numerosas figuras da música nacional. No ano em que se assinalaram 40 anos do álbum “Ar de Rock”, o seminal primeiro estilhaço do 'boom' do rock português dos anos 80, Rui Veloso revelou que não tenciona voltar a cantar inéditos

Em julho, Rui Veloso foi o convidado do Posto Emissor, podcast da BLITZ, e confessou ter atualmente grande relutância em gravar novas canções.

Tendo como álbum de originais mais recente “A Espuma das Canções”, lançado há 15 anos, Rui Veloso atribui a paragem à falta de um letrista “do nível de Carlos Tê”.

40 anos depois de, com Tê, ter dado a conhecer ao país figuras como 'Chico Fininho' ou 'A Rapariguinha do Shopping', Veloso - que manteve parceria com o letrista até 2005 - não vê razão para voltar a gravar inéditos. "O Carlos Tê desligou-se, foi à vida dele, e fica difícil cantar qualquer coisa. Eu não canto qualquer coisa. Gajos do nível do Tê há dois ou três", refere o músico a partir dos 16 minutos da conversa.