Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Como um dos álbuns clássicos dos Metallica ajudou Kirk Hammett a superar a depressão. "Dormíamos no chão do estúdio"

As peripécias em torno das gravações de "Ride the Lightning" ajudaram Kirk Hammett a vencer a doença mental.

Kirk Hammett esteve à conversa para uma série criada pela marca de guitarras Gibson, na qual explicou de que forma "Ride the Lightning", um dos álbuns clássicos dos Metallica, o ajudou a superar uma depressão.

"Foi um álbum muito interessante", começou por dizer. "Fomos a Copenhaga gravá-lo, e o nosso orçamento era limitado. Tínhamos muito pouco tempo. E quando pareceu que iríamos precisar de mais, chegámos a acordo com o estúdio mas não tínhamos onde ficar".

"Acabámos a ficar no piso de cima, numa arrecadação, onde guardavam as cassetes", continuou. "Havia um espaço no chão com três sacos-cama e prateleiras cheias de masters. Digo três, porque o Lars é de Copenhaga e tinha sempre onde ficar. O Cliff [Burton], o James [Hetfield] e eu dormíamos no chão do estúdio".

"Pensámos que ia ser bom afastarmo-nos da Bay Area, mas não sabíamos que íamos ficar [em Copenhaga] tanto tempo. Acabámos por ficar longe de casa uns cinco ou seis meses, e começámos a morrer de saudades".

"Muitos desses sentimentos acabaram na letra da 'Fade to Black', que é sobre sentir saudades de casa", revelou. "Lembro-me de estar deprimido, de querer ir para casa".

"Quando chegou a altura de gravar os meus solos, pensava em como estava cheio de energia mas chateado ao mesmo tempo. E despejei esses sentimentos na guitarra. Foi como terapia".