Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Tom Morello recorda Chris Cornell: “Era um amigo, um colega de banda, mas também um tipo misterioso”

Tom Morello, do Rage Against the Machine, diz que quando foi pela primeira vez a casa de Chris Cornell, dos Soundgarden e seu colega nos Audioslave, sentiu que estava a entrar na casa da Família Adams

Tom Morello, dos Rage Against the Machine, recordou Chris Cornell, falecido líder dos Soundgarden e seu colega nos Audioslave, numa entrevista ao programa de rádio canadiano Q on CBC. "Era um tipo mítico", começou por dizer o músico, "na vida real, era um tipo super mítico".

"Nunca parei de ser fã do Chris. Ele era um amigo, era um colega de banda, mas era um tipo misterioso", continua o guitarrista dos Rage Against the Machine, recordando de seguida o momento em que foi pela primeira vez a sua casa com o produtor Rick Rubin.

"Ele vivia em Ojai, a hora e meia de Los Angeles, um sítio onde o céu está sempre escuro, no meio da floresta, quase como se estivéssemos na Transilvânia", descreve Morello, "claro que o Chris vivia na última casa tipo castelo espanhol isolada na colina".

O músico diz que quando estacionaram a carrinha viram uma longa escadaria: "as portas abriram-se ao estilo da Família Adams, sem ninguém a abri-las, e o Chris apareceu, a descer as escadas de forma desajeitada... O Rick vira-se para mim e diz 'vamos embora daqui' (risos). Achámos mesmo que as nossas almas estavam em perigo".

"Penso que uma parte significativa do génio artístico do Chris estava intimamente ligada àqueles demónios que o acompanhavam desde que era muito novo", continua Morello, "e sentes isso na música dele, nas letras dele e na vida dele. Houve, definitivamente, recantos aos quais eu nunca tive acesso".

O músico remata elogiando a "muita música boa" que Cornell, falecido em 2017, deixou para o mundo ouvir para sempre. "Penso nele todos os dias - mesmo todos os dias".