Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Fiona Apple

Gary Miller/Getty Images

Fiona Apple: “Se ganhar um Grammy, apareço lá com uma marreta e desfaço-o em pedaços”

Sem papas na língua, a autora do melhor álbum internacional de 2020 para a BLITZ considera boicotar os prémios mais importantes da indústria musical. Ou então ir à gala para destruir o seu Grammy. Conheça as razões da revolta da artista

Fiona Apple deu uma entrevista ao jornal britânico The Guardian, na qual admitiu vir a boicotar a cerimónia de entrega dos Prémios Grammy, que se realiza no final de janeiro.

A artista norte-americana, cujo "Fetch the Bolt Cutters" foi para muitas publicações (incluindo a BLITZ) o melhor álbum do ano, e que se encontra nomeado para um Grammy na categoria de Melhor Álbum de Música Alternativa, afirmou que na base do seu eventual boicote está o facto de o produtor Dr. Luke ter sido nomeado numa outra categoria.

Recorde-se que Luke foi acusado por Ke$ha de abusos sexuais, um caso que terminou em tribunal, com a vitória do produtor. Sob o nome "Tyson Trax", Dr. Luke encontra-se nomeado para um Grammy para Gravação do Ano pelo seu trabalho em 'Say So', tema da rapper Doja Cat.

"Puseram lá [a Ke$ha] a cantar a 'Praying' e agora dizem que é o Tyson Trax [e não o Dr. Luke]", desabafou a autora de 'Shameika'. "É tudo uma treta".

No entanto, Fiona Apple ainda decidirá se opta pelo boicote - até porque, segundo a própria, quer celebrar em pessoa o facto de, em 2021, todas as nomeadas na categoria de Melhor Performance Rock serem mulheres.

"Não sei se algum dos nomeados consegue evitar pensar no que vai fazer se ganhar. Pessoalmente, imaginei subir ao palco com uma marreta e, sem dizer nada, destruir o Grammy em pedaços suficientes para partilhar com as outras. Mas também pensei em fazer com que elas boicotassem tudo isto, por causa do Dr. Luke", explicou.