Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Divulgação

Quem salvou a carreira dos Metallica, segundo Lars Ulrich. “Se não fosse o Phil, não estaria aqui a falar”

Chama-se Phil Towle e é, provavelmente, a pessoa mais importante no percurso dos Metallica ao longo dos últimos 20 anos. Não é músico, produtor ou manager – mas sem ele a banda norte-americana seria um episódio do passado

Para Lars Ulrich, o terapeuta Phil Towle, que trabalhou com a banda no início deste século - por alturas do lançamento do documentário "Some Kind of Monster" - é o grande responsável por ainda existirem os Metallica.

À altura, Towle foi contratado pela banda para que os seus membros aprendessem a comunicar melhor entre si, por entre um dos períodos mais turbulentos da sua carreira, que culminou na saída do baixista Jason Newsted.

À conversa com Phoebe Bridgers, para a revista Rolling Stone, Ulrich elogiou o terapeuta, ainda que admita que os tempos com Towle tenham sido "difíceis".

"Tenho que o defender. Ele salvou a banda. Se não fosse o Phil, não estaria aqui a falar", garantiu.

Nas palavras do baterista, esse período na vida dos Metallica "foi de transição, experimental".

"Há 20 anos que éramos uma banda, e apercebemo-nos de que nunca falámos sobre como nos estávamos a sentir, o que fazer parte dos Metallica nos fazia", disse. "Não passávamos de uma máquina da treta. E depois o [James] Hetfield teve de abandonar por uns tempos e cuidar dos seus problemas, e isso proporcionou tudo isto".