Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Eddie Vedder

5 momentos que mostram que Eddie Vedder nunca acreditou realmente que Donald Trump pudesse ser um bom presidente

Esta semana, uma frase confundiu alguns fãs quanto às 'cores' políticas de Eddie Vedder. Mas o vocalista dos Pearl Jam sempre foi assumidamente anti-Trump e foram várias as vezes em que deixou bem clara a sua (o)posição

Esta semana, Eddie Vedder disse, numa entrevista, que nos últimos meses tinha dado por si a “torcer” por Donald Trump: não para que ganhasse as eleições presidenciais, mas para que conseguisse debelar a crise de covid-19 nos Estados Unidos.

“Ele nunca teve qualidades que o redimissem. Mas nos últimos meses desejei que fizesse alguma coisa bem. Não quis que ele falhasse ao país. Não quis que, por culpa dele, perdêssemos o sustento. Estava mesmo a torcer por ele. 'Vá lá, resolve isto e eu até posso mudar de opinião'. [Quis] que ele salvasse o país de chegar ao ponto em que estamos. Estava a torcer pelo tipo. Mas não adiantou”, afirmou o vocalista dos Pearl Jam.

A posição de Eddie Vedder sempre foi, porém, assumidamente anti-Trump.

Veja aqui cinco exemplos que o provam.

1. Em 2018, no concerto no NOS Alive, em Portugal, Eddie Vedder fez um pequeno discurso antes de cantar 'Imagine', de John Lennon.“Passa-se algo estranho: há pessoas que pensam mais na sua ganância e no seu próprio lucro do que no ambiente, nas pessoas, nos imigrantes, na igualdade, no respeito pelo casamento entre pessoas do mesmo sexo”, afirmou. “É um sinal de alarme, para que todos nós acordemos”, disse ainda, mostrando acreditar que cabe às gerações futuras mudar este estado de coisas.“Eles [referindo-se a líderes como Donald Trump] um dia vão embora, mas é preciso acelerar este processo, acordar os nossos vizinhos e tornarmo-nos uma força do bem”.

2. Também em 2018, Eddie Vedder pediu a um fã, no Festival Lollapalooza, no Chile, uma máscara de Donald Trump com nariz de palhaço, que envergou em palco, enquanto dançava e bebia vinho.

3. Alguns meses depois, Eddie Vedder dedicou a canção 'Love Boat Captain' a Donald Trump. Num concerto em Londres, explicou: “Quero dedicar esta ao tipo que está na Casa Branca. Gostava que ele a ouvisse, mas ele não ouve música nem lê livros. Alguém lha pode mandar num tweet? Para as mães e pais e filhos que estão a ser separados na fronteira. Este não é o país de que me lembro”, lamentou.

4. Ainda em 2018, Eddie Vedder aproveitou o concerto dos Pearl Jam em Amesterdão, na Holanda, para criticar Donald Trump: “Não me parece que seja maluco como uma raposa. Acho que é maluco como um narcisista. É interessante quando temos um líder mundial que insulta todos os seus aliados e as pessoas bem intencionadas que representam o seu povo. Mas depois dá-se bem com ditadores e déspotas. É perturbante”.

5. Este ano, uma das canções do álbum dos Pearl Jam, “Gigaton”, Eddie Vedder imagina que viaja pelo mundo em busca de um sítio que “Trump ainda não tenha lixado” (“To find a place Trump hadn't f***ed up yet”, da letra de 'Quick Escape').