Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Baixista dos Black Sabbath considera “repugnante” o último êxito de Cardi B

Para o histórico Geezer Butler, ‘WAP’ não é um hino de empoderamento feminino; é uma canção asquerosa

Geezer Butler deu uma entrevista à revista Kerrang!, na qual se referiu a 'WAP', o último êxito de Cardi B, como "repugnante".

O tema tem sido visto por muitos como um hino ao empoderamento feminino, mas tantos outros encararam a letra e o vídeo, altamente sexuais, como ofensivos.

Traçando um paralelo com o passado, o baixista dos Black Sabbath admitiu que "cada vez que aparece música nova, é vista como a música do diabo".

"Lembro-me de quando o Elvis surgiu e toda a gente disse que ele era Satanás", afirmou. "E, nos anos 60 e 70, tornou-se num tesouro nacional nos Estados Unidos. Os cristãos passaram-se quando os Sabbath surgiram. Isso acontece com toda a música nova".

"Porém", acrescentou, "devo dizer que a Cardi B me irrita com a 'WAP'. É repugnante. Um amigo meu viu a filha de dez anos a cantá-la. Pô-la num álbum, tudo bem, mas como single é excessivo. Mas eu tenho 71 anos, sou um velho da tanga".