Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Paulo Gonzo

Rita Carmo

Paulo Gonzo: “Eu era bonito, tinha os cabelos compridos. Deixava rastos de sangue pela cidade”

“E tinha uma banda! Sentava-me em esplanadas para as pessoas me conhecerem”. Paulo Gonzo recorda o final dos anos 70 na Go Graal Blues Band e a movida de Lisboa desses tempos: “Uma vez encontrei o Iggy Pop na casa de banho do Jamaica Bar”

No Posto Emissor desta semana, Paulo Gonzo recorda a movida de Lisboa no final dos anos 70, os seus locais de predileção e as companhias desses tempos.

Numa altura em que se encontra a lançar a coletânea “Essencial”, o músico português recordou episódios ocorridos no final da década de 70 no Jamaica Bar, em Lisboa, com um jovem e então desconhecido Rui Veloso, bem como um encontro inesperado com Iggy Pop no mesmo local). O concerto de Lou Reed no Dramático de Cascais, já em junho de 1980, e o entusiasmo em torno de um concerto que deu no Coliseu dos Recreios, com a sua Go Graal Blues Band, alguns meses antes, passaram também pela mais recente edição do podcast da BLITZ.

“Eu era bonito, tinha os cabeços compridos. Deixava rastos de sangue pela cidade. E tinha uma banda! Sentava-me em esplanadas para as pessoas me conhecerem”, afirma.

Para ouvir a partir dos 19 minutos e 24 segundos