Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Johnny Depp e Amber Heard

Getty Images

Johnny Depp perde caso contra jornal "The Sun". Juiz considera que "espancador de mulheres" não é difamação porque é verdade

Juiz do Supremo Tribunal de Londres considera que “a maior parte" das alegadas agressões de Johnny Depp à ex-mulher, Amber Heard, ficou provada

O ator Johnny Depp perdeu o caso judicial que interpôs contra o jornal britânico The Sun, acusando o tabloide de difamação, devido à publicação de um artigo que se referia a si como “espancador de mulheres”.

Esta segunda-feira, 2 de novembro, um juiz do Supremo Tribunal de Londres acabou por determinar que Johnny Depp não tinha direito a uma indemnização por difamação, uma vez que ficou provado que agredia repetidamente a sua ex-mulher, a também atriz Amber Heard.

O jornal The Sun já reagiu, considerando que esta sentença representa uma “vitória incrível” para a liberdade de imprensa e que sempre esteve ao lado das vítimas de violência doméstica, elogiando “a coragem” de Amber Heard em testemunhar em tribunal.

Johnny Depp e Amber Heard casaram em fevereiro de 2015 e em maio de 2016 a atriz pediu o divórcio e uma ordem de restrição contra o ex-marido, que acusou de violência física e verbal. O caso arrastou-se, com várias reviravoltas, obtendo ampla cobertura mediática; em 2018, o The Sun publicou um artigo sobre a forma como Depp terá tratado a ex-mulher, o que levou o ator a processar o jornal, o autor do artigo e o grupo editorial ao qual pertence o tabloide.