Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

A pergunta que fez Robert Plant desligar o telefone à revista brasileira Veja

“Eu já estava a ver, pelo seu tom de voz, que era sempre a descer. Obrigado”, atirou o ex-Led Zeppelin. A seguir ouviu-se: “pi-pi-pi-pi-pi”

Robert Plant deu uma entrevista à revista brasileira Veja, a qual terminou de forma abrupta após o ex-Led Zeppelin não ter gostado de uma questão que lhe foi colocada.

Questionado sobre se a sua antiga banda se poderia voltar a reunir, como em 2007, o vocalista respondeu sarcasticamente: "Eu já estava a ver, pelo seu tom de voz, que era sempre a descer. Obrigado", desligando de imediato o telefone.

Antes desse momento, Plant mostrou-se bastante mais simpático, afirmando que não pensa numa eventual reforma ("Para mim, trabalhar e cantar não tem a ver com a idade", disse), e revelando que a filha de Elvis Presley, Lisa Marie, pediu-lhe certa vez para que lhe autografasse o braço de forma a fazer uma tatuagem.

Sobre o facto de ainda manter praticamente o mesmo registo vocal, Plant atirou: "Acho que o segredo é a vontade de cantar como se não fosse um trabalho. Eu quero fazer aquilo que faço". E ainda lamentou o facto de não poder assistir, no estádio, aos jogos do "seu" Wolverhampton, equipa treinada pelo português Nuno Espírito Santo: "Torço por eles há 65 anos".