Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

António Variações em 1983

Rui Cunha

“O filme de António Variações é uma caricatura má que só serve para transformar o António num símbolo gay para festivais LGBTQ”, diz manager

“Em cinema pode fazer-se tudo à volta de uma personagem, só não se pode é anular o seu carisma”. As críticas de Teresa Couto Pinto, manager de António Variações, à 'biopic' do cantor, o filme português mais visto de 2019

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Teresa Couto Pinto, fotógrafa, manager e amiga de António Variações, teceu duras críticas a “Variações”, o filme de João Maia que, em 2019, fez furor nas salas de cinema portuguesas.

Em entrevista à edição da passada sexta-feira do Ípsilon, suplemento cultural do jornal Público, Teresa Couto Pinto, que esta semana edita um livro de fotografias de António Variações, explica as razões pelas quais só agora publica uma obra com muitas das imagens icónicas das quais é autora - algumas delas inéditas até agora.

“Andei por todo lado a tentar convencer uma editora. Bati a várias portas. Até que fui parar ao Theatro Circo de Braga, por o António ser do distrito de Braga, para tentar que o livro saísse e foi lá que encontramos um mecenas, a [construtora] dst”, conta Teresa Couto Pinto.

“Eu queria muito fazer este livro, sobretudo depois daquele filme horroroso ['Variações'] - aquilo não é o António. Aliás, quando me deram a ler o guião, há dez anos, disse logo ao realizador que não reconhecia o António em nenhuma daquelas páginas. Em cinema pode fazer-se tudo à volta de uma personagem, só não se pode é anular o seu carisma e caricaturar”, critica.

Teresa Couto Pinto diz ainda que considera o filme, protagonizado por Sérgio Praia, uma caricatura com um único “propósito: transformar o António num símbolo gay para levar o filme aos festivais LGBTQ+”.

“O António nunca negou a sua orientação sexual, mas nunca andou com isso escrito na testa. A maneira exuberante como gostava de se vestir não tinha o propósito de se tornar simbologia de coisa nenhuma, simplesmente gostava de andar assim”, argumenta ainda.

“Variações”, o livro de fotografias tiradas por Teresa Couto Pinto, chega às lojas amanhã, 20 de outubro, pela editora Oficina do Livro.