Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Bon Jovi: “Os Guns N' Roses caíram no precipício, nós continuámos”

Jon Bon Jovi defende a sua banda e atira farpas à 'concorrência'. "Os Guns N' Roses demoraram 25 anos a fazer um disco novo, não foi?"

Jon Bon Jovi falou sobre a carreira de quase 40 anos da sua banda numa entrevista sem filtros à edição britânica da revista GQ, aproveitando para atirar farpas aos Guns N' Roses.

Questionado sobre o facto de ter começado tão jovem e de se ter conseguido manter uma pessoa saudável, o músico começou por dizer: "lembro-me de dizermos que não tínhamos mudado depois de [o álbum] 'Slippery When Wet' se ter tornado o nosso 'Thriller' ou 'Like a Virgin', mas que toda a gente à nossa volta tinha".

"Até os nossos pais nos procuravam para obterem respostas, naquele momento, porque nós nos tínhamos tornado famosos. Ficámos tipo 'isto é muito estranho'", continuou Bon Jovi, "aquilo que nos queimou depois do álbum 'New Jersey' foi termos dois álbuns gigantes seguidos e fazermos digressões com 240 concertos".

Apesar de dizer que não culpa os agentes ou a equipa que os rodeava, o músico explica que a banda "procurou ajuda" e fez um intervalo de alguns anos para perceber que não tinha um problema.

"Voltámos a juntar-nos, fizemos o 'Keep the Faith' e continuámos. Os Guns N' Roses demoraram 25 anos para fazer um disco novo, não foi? Caíram no precipício, nós continuámos em frente" - na verdade, os Guns N' Roses regressaram com um disco novo, "Chinese Democracy", em 2008, 15 anos depois do disco de versões "The Spaghetti Incident?" e 17 após "Use Your Illusion".

Bon Jovi diz ainda que percebeu que não conseguiria levar uma vida de excessos quando se viu numa casa em Malibu, na Califórnia. "Disse 'temos de ir embora, isto não é para mim'. Estava rodeado. E agora, essas pessoas ou estão mortas, divorciadas, viciadas em drogas, internadas em instituições psiquiátricas ou algo do género".