Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

"Se Trump for reeleito, haverá uma guerra racial". O aviso sério de Diddy

O rapper e empresário Sean Combs, mais conhecido por Diddy, vai entrar na política. E deixou um alerta em relação ao futuro dos Estados Unidos

O rapper e empresário Sean Combs, que hoje em dia responde por Diddy, anunciou a criação de um novo comité de ação política em defesa dos direitos dos negros.

Em entrevista à Revolt TV, Diddy afirmou que os políticos norte-americanos têm ignorado as necessidades dos seus cidadãos negros, e deixou um aviso sério: "Se Trump for reeleito, haverá uma guerra racial".

Para Diddy, o atual presidente aumentou as tensões raciais existentes ao recusar-se repetidamente a condenar grupos e milícias de extrema-direita. "Brancos como Trump têm de ser banidos", acrescentou.

"A sua forma de pensar é perigosa. Este homem ameaçou as nossas vidas e as das nossas famílias, prestes a ir votar. Estamos em guerra, Numa guerra de amor contra o ódio".

A prioridade número um, disse, tem que passar por tirar Trump do poder. "Se as pessoas nos Estados Unidos querem uma guerra racial, não irão votar", avisou.

Mais tarde, no Twitter, Diddy voltou a salientar a importância de garantir a saída de Donald Trump da Casa Branca. "Não podemos deixar que este homem continue a dividir-nos", escreveu. "As pessoas que têm uma maior responsabilidade, e que deveriam estar assustadas de morte, são os brancos".