Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Ice Cube

Getty Images

Há mais um gigante do hip-hop a apoiar Donald Trump. É Ice Cube e explica porquê

'Incendiou' a América com as letras políticas de “Straight Outta Compton”, nos N.W.A. 32 anos depois, Ice Cube junta-se a Trump mas diz que não passou para o 'lado negro'

O rapper norte-americano Ice Cube juntou-se ao presidente Donald Trump na campanha Platinum Plan para afro-americanos e já se veio defender de quem se insurgiu contra ele nas redes sociais. Dizendo que falou quer com a equipa do atual presidente dos Estados Unidos quer com a equipa do candidato democrata Joe Biden sobre uma proposta que tem como intuito lutar contra o racismo e conquistar "justiça económica racial"

"Factos: coloquei cá fora o 'Contrato com a América Negra. Ambos os partidos me contactaram. Os democratas disseram que falariam sobre a proposta depois das eleições. A campanha de Trump fez alguns ajustes ao seu plano depois de falar connosco", começa por dizer o rapper no Twitter, explicando depois que decidiu trabalhar com Trump porque achou que era o melhor para a comunidade negra como um todo.

O referido Platinum Plan tem como objetivo criar três milhões de novos empregos para a comunidade negra nos próximos quatro anos. Ao ser acusado de ter passado para o "lado negro", Cube respondeu: "qualquer lado é o lado negro para nós aqui na América. São todos iguais até algo mudar para nós. Todos eles mentem e todos eles nos enganam mas nós não podemos não negociar com quem está no poder ou a nossa condição neste país nunca vai mudar. A nossa justiça é bipartidária".

As críticas ao músico, que 'incendiou' a América com as letras políticas de “Straight Outta Compton”, nos N.W.A., começaram depois de uma conselheira da campanha de Trump, Katrina Person, ter divulgado uma mensagem no Twitter na qual dizia: "Um obrigado ao Ice Cube pela sua vontade de trabalhar com a administração de Donald Trump para ajudar a desenvolver o Platinum Plan... Os líderes vão liderar, os haters vão odiar. Obrigado pela liderança!".