Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Jorge Palma no Castelo São Jorge, Lisboa

Rita Carmo

Festivais e espetáculos análogos continuam proibidos até ao final deste ano (com exceções)

Com prolongamento do estado de contingência, é também prolongada proibição de festivais e espetáculos afins. Com exceções

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

No âmbito do documento do Conselho de Ministros que esta quinta-feira, 24 de setembro, prorroga o estado de contingência em Portugal até 14 de outubro deste ano, foi também prolongada “a proibição de realização ao vivo em recintos cobertos ou ao ar livre de festivais e espetáculos de natureza análoga”.

Esta proibição estava decretada até 30 de setembro e estende-se agora até ao final de 2020, confirmou o Ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, ao SAPO24.

“Os efeitos do decreto-lei que leva à suspensão da realização de festivais são prorrogados até ao final deste ano. Isto significa que, mantendo-se este regime, por princípio, aquilo que se costuma denominar festivais de música, continuam proibidos”, disse Pedro Siza Vieira.

O governante afirmou porém que é possível realizar “eventos nas condições definidas com as autoridades de saúde e com as forças de segurança”.

Pode saber mais sobre o estado de contingência devido à pandemia de covid-19 aqui.