Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Blaya

Blaya: “Mulheres, parem de julgar as vossas parceiras! Cada uma tem a sua própria luta, respeitem isso!”

Blaya considera que as mulheres são demasiadas vezes inimigas de si próprias. “Uma mulher depois de ser mãe continua a ser mulher!”

Numa entrevista sobre maternidade, Blaya deixou um pedido: "Mulheres, parem de julgar as vossas parceiras! Cada uma tem a sua própria luta, respeitem isso!". A artista respondia a uma pergunta da revista Máxima relativa os tabus sobre mães que são urgentes desmitificar, e começou por dizer que é "daquelas perguntas que dava para encher uma página".

"Muita gente não vai concordar, mas aqui vai: independentemente do trabalho de uma mulher, ela tem todo o direito de ter uma vida. Não é pelo tipo de profissão, que julgamos a educação dos seus filhos", defende, "uma mulher depois de ser mãe, continua a ser mulher! Pode ser sensual quando quiser, dançar como quiser , vestir-se como quiser, nunca se deve anular o factor mulher. Nunca se deve julgar o esforço de uma mulher para com os seus, pelo que ela veste ou pelo que mostra nas redes sociais ou até no seu dia-a-dia".

Sobre o maior desafio da maternidade, Blaya diz que "um dos maiores desafios é fazer entender que a mulher mesmo sendo mãe, consegue fazer tudo o que fazia e ainda consegue ser mãe". Quando a filha, Lau, nasceu, há três anos, a artista diz que "não sabia se havia de chorar ou de rir! E como sou a favor da amamentação, eu só queria colocá-la a mamar".