Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

'Mugshot' de Mark David Chapman em 2010

Getty Images

40 anos depois de matar John Lennon, Mark David Chapman vai continuar na cadeia

Pela 11ª vez, foi negada a liberdade condicional ao assassino do ex-Beatle

Foi novamente negado o pedido de liberdade condicional feito por Mark David Chapman, o assassino de John Lennon.

Um conselho técnico de liberdade condicional voltou a analisar o pedido de Chapman no passado dia 19 de agosto, rejeitando as pretensões deste.

Esta é a 11ª vez que o pedido de Chapman, hoje com 65 anos, é negado. Em 1980, Chapman foi condenado a prisão perpétua após assassinar Lennon. E, em 2000, passou a poder requisitar a sua liberdade condicional.

No passado, o assassino afirmou ter "encontrado Jesus Cristo", mostrando-se arrependido pelos seus atos. Yoko Ono, viúva de Lennon, sempre se mostrou contra a sua libertação, dizendo temer pela segurança da sua família.

Em 2018, a justificação do conselho para a sua resposta negativa baseou-se no facto de a libertação de Chapman "ser incompatível com o bem-estar e a segurança da sociedade", existindo ainda o receio de que "alguém pudesse tentar magoá-lo por raiva ou vingança". Chapman poderá voltar a pedir a sua liberdade condicional em 2022.