Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Katy Perry em 2008

Katy Perry: “Toda a minha infância foi Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus”

"Jesus ao domingo de manhã, ao domingo à noite, à quarta à tarde”. A 'confissão' de Katy Perry em entrevista ao jornal Guardian

Katy Perry recordou a sua infância católica numa entrevista ao jornal britânico Guardian durante a qual diz: "a minha infância foi apenas o comboio de Jesus. Não foi expansiva nem foi curiosa. Era Jesus ao domingo de manhã, ao domingo à noite, à quarta à tarde. Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus, Jesus".

"Desde que nasci ia sempre tudo dar à Bíblia", acrescentou ainda a artista norte-americana, filha de um casal de pastores pentecostais, explicando que foi quando começou a cantar, aos nove anos, que começaram a reparar na sua existência. "Toda a gente passou de me ignorar a dar-me atenção porque eu tinha aquele novo truque mágico".

A artista confessa que a sua educação foi limitada, além de altamente religiosa, o que a fez abandonar a escola aos 15 anos para cantar em coros gospel. Os seus problemas psicológicos eram ignorados porque "Jesus cura tudo! Peço desculpa se os teus dedos estão a cair, mas Deus vai curar-te".

"Se a tua fé não for realmente intensa e verdadeira, então não é o melhor cristão", acrescenta, "mas há uma série de ferramentas que Deus nos dá que nos permitem ajudar-nos. E a ciência, os médicos e os terapeutas são algumas delas. É provavelmente por isso que estou no negócio dos sentimentos".