Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Waldemar Bastos

“Se Deus tivesse uma voz seria a de Waldemar Bastos”. Pedro Abrunhosa, Jorge Palma e Dulce Pontes lamentam morte de Waldemar Bastos

O músico angolano morreu no passado domingo, aos 66 anos, vítima de cancro. Companheiros e amigos portugueses, como Jorge Palma, Pedro Abrunhosa ou Dulce Pontes, recordam-no com saudade e emoção

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Pedro Abrunhosa, Jorge Palma e Dulce Pontes foram alguns dos músicos portugueses a assinalar a partida de Waldemar Bastos, ontem, aos 66 anos.

“O mundo perdeu um homem bom. A música perdeu um músico intenso, inteligente e íntegro. Dia triste este em que te silenciaste”, escreveu Pedro Abrunhosa.

Por seu turno, Jorge Palma partilhou um vídeo de uma atuação sua com Waldemar Bastos, escrevendo: “Grande músico, bom amigo. Lamento muito a sua prematura partida”.

Nas suas redes sociais, Dulce Pontes assinalou também a morte de Waldemar Bastos. “Muxima, ué eh Muxima, meu Amigo, oiço neste momento 'se achas que sou feiticeiro leva-me à Nossa Senhora'. Se Deus tivesse uma voz seria a de Waldemar Bastos. Tua guitarra, meu amigo e tua sensibilidade, teu ser amoroso, tua dor, tua alegria, tua música mãe de todos nós, África que amo. Deus te abençoe meu amigo e te faça leve a viagem”.

Aline Frazão, para quem o dia de ontem é “de luto para a música angolana”, Kalaf, que agradece a Waldemar Bastos por o ensinar “a amar a angolanidade através dos [seus] versos e melodias”, ou Anselmo Ralph, que lembra “a voz e o timbre muito peculiar e sentimental” do músico agora desparecido, foram outros dos artistas a prestar-lhe homenagem nas redes sociais.