Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Morreu Gonçalo Villas-Boas, da Lemon

O empresário português faleceu em sua casa na noite desta segunda-feira, aos 53 anos

Gonçalo Villas-Boas, um dos fundadores e dono da empresa de produção de eventos Lemon, responsável por vários festivais e espectáculos dirigidos a um público infantil, morreu na noite passada, em sua casa, em Belas, no concelho de Sintra, quando contava 53 anos.

A Lemon produzia eventos como o festival Panda, os espectáculos das Winx e de Noddy, além de muitos outros como Heidi e a Abelha Maia, Masha e os Ursos ou Super Wings e apresentava-se como "uma das empresas líder a nível mundial em conteúdos de entretenimento, operando em vários países como Portugal, Espanha, Alemanha, Angola, Cabo Verde, Líbano, Turquia, Egipto, ou Moçambique". Gonçalo Villas-Boas também era sócio da empresa de agenciamento de artistas portugueses Gigs on Mars e responsável pela produção de vários concertos com artistas internacionais em Portugal. Era também sócio da Uguru, que atualmente gere a carreira de Rodrigo Leão e produz o Misty Fest, com António Cunha.

A sua entrada no universo da música sucedeu há mais de vinte anos, quando teve uma participação no Grupo Reunião, que na época agenciava e fazia a gestão de carreira de artistas como os Madredeus, Resistência, Delfins ou Santos & Pecadores. Era irmão de António Villas-Boas, que fez parte da primeira formação dos Pólo Norte.

Além da música, Gonçalo Villas-Boas desempenhava várias funções noutras empresas. Desde 2005 até julho, trabalhou na IPG Media Brands, onde desenhou ferramentas e sistemas para marcas como a Universal Media, Iniative ou o BPN. Foi também media supervisor na Leo Burnett/Cineponto, tendo dado aulas na Universidade Católica enquanto professor assistente.