Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

A bombástica autobiografia de Chris Frantz dos Talking Heads arrasa David Byrne, Patti Smith e Ramones

O baterista dos Talking Heads não poupa ninguém, especialmente Byrne, a quem aponta um egocentrismo quase irreal

O baterista Chris Frantz (ex-Talking Heads) editou recentemente a sua autobiografia, intitulada "Remain in Love".

Na mesma, Frantz deixa várias críticas a David Byrne, dizendo que o frontman dos Talking Heads era guiado "pelo ego e pela ganância".

"Ele não o consegue evitar", afirmou em entrevista ao Guardian. "O cérebro dele funciona de tal forma que ele não sabe onde termina e as outras pessoas começam. Não consegue conceber que qualquer outra pessoa também seja importante".

A personalidade de Byrne levou-o, inclusive, a creditar as canções dos Talking Heads somente a si próprio - apesar dos contributos da restante banda - e a menosprezar o trabalho de Chris Frantz com Tina Weymouth (com quem é casado) nos Tom Tom Club.

"Ele era muito competitivo. Dizia que [os Tom Tom Club] eram música comercial", afirmou Frantz. "Como se não houvesse lá nada além disso".

Chris Franz deixa ainda algumas "farpas" a Patti Smith e aos Ramones, com os quais se cruzou no histórico CBGB's. A "madrinha do punk", diz, tratou os Talking Heads como se fossem "putos ricos" por terem frequentado uma escola de design. Já o guitarrista Johhny Ramone considerava-os "pretensiosos".