Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Kanye West

Kanye West em lágrimas no seu primeiro comício: “Quase matei a minha filha”

O músico ‘quebrou’ quando defendia a sua posição anti-aborto no primeiro comício enquanto candidato a Presidente dos EUA

Kanye West não conseguiu controlar as lágrimas no seu primeiro comício enquanto candidato à presidência dos Estados Unidos, que decorreu este domingo em North Charleston, na Carolina do Sul. Foi quando decidiu falar sobre a questão do aborto que o rapper se deixou levar pela emoção, dizendo, entre lágrimas: "a minha mãe salvou a minha vida. O meu pai queria abortar-me. A minha mãe salvou a minha vida. Não teria havido Kanye West porque o meu pai estava demasiado ocupado".

"Quase matei a minha filha", confessou depois, "na Bíblia diz 'não deves matar'. Lembro-me de a minha namorada me ligar a gritar e a chorar... e disse 'estou grávida'... Ela disse que estava grávida e durante três meses falámos sobre não ter aquela criança. Ela chegou a ter os comprimidos na mão".

West refere-se a Kim Kardashian e à primeira filha do casal, North West, hoje com 7 anos. "Estava em Paris, no mesmo apartamento onde a minha mulher foi assaltada. O ecrã ficou preto e branco e Deus disse: 'se lixas a minha visão, eu lixo a tua'. E liguei à minha mulher e ela disse 'vamos ter este bebé'. E eu disse 'vamos ter este bebé'. Mesmo que a minha mulher se divorciasse de mim depois deste discurso, já tinha trazido a North a este mundo".

Quando confrontado com a história de uma jovem, que subiu ao palco para explicar que tinha decidido abortar porque recebia o salário mínimo, o rapper respondeu que "compreendia a situação" e que "Jesus ama todas as pessoas... e Deus quer que criemos. Nunca conheceste ninguém que tenha dito 'tive esta criança e foi o pior que podia ter feito'".

A solução dada por West aos problemas financeiros foi o seguinte: "a opção de aumento máximo devia estar disponível. Isso significa que quem tiver um bebé recebe um milhão de dólares ou algo do género". E de onde viria o dinheiro? O rapper sugere que o conceito fosse financiado por Israel e África... "Não tenho os fundos para isso, mas tenho uma plataforma para apresentar a ideia".

Veja o vídeo do comício abaixo.