Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Um dos criadores do festival Lollapalooza acredita que os concertos só regressarão a 100% em 2022

Marc Geiger não acredita em "milagres"

Marc Geiger, cofundador do festival Lollapalooza, afirmou em entrevista ao podcast de Bob Lefsetz que os concertos ao vivo não irão regressar a 100% até 2022.

"Aquilo a que eu chamo economia germofóbica terá que ser substituída pela economia claustrofóbica", explicou. "Esta última é quando as pessoas querem sair de casa, jantar fora, ter as suas vidas, ir a festivais e concertos".

"Penso que ainda irá demorar para que isso aconteça, porque os grandes eventos como competições desportivas, concertos ou festivais não correrão bem enquanto este vírus estiver presente", continuou.

Entre os fatores que poderão atrasar o regresso dos espetáculos encontram-se “o vírus e a doença, a questão do espaço e a densidade [de espectadores no mesmo local]” e ainda “os riscos” que a eventual presença do vírus pode representar para qualquer promotor de espetáculos. Na opinião de Marc Geiger, os promotores terão dificuldade em encontrar uma seguradora que queira cobrir os seus eventos.

Para o norte-americano, os próximos seis meses na indústria musical "poderão ser mais dolorosos que os últimos seis meses, e os seis meses a seguir a esses ainda mais".