Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Em 2003 viram morrer 100 pessoas num concerto. Agora deram espetáculo sem distanciamento social

Os Great White protagonizaram uma das maiores tragédias da musica ao vivo, há 17 anos. Na semana passada, ignoraram todas as recomendações e deram um concerto onde não foram seguidas quaisquer precauções

Em 2003, os norte-americanos Great White utilizaram artifícios pirotécnicos durante um concerto seu, numa pequena discoteca, o que levou à morte de 100 pessoas.

Na passada quinta-feira, o grupo voltou a colocar os seus fãs em risco, ao dar um concerto em Dickinson, no estado da Dakota do Norte, que não cumpriu as regras básicas de distanciamento social.

Este espetáculo fez parte de uma série de concertos intitulada "First on First", co-organizada por April Getz, e que se gaba de não cumprir quaisquer restrições de segurança impostas pela pandemia.

"Se as pessoas se sentirem confortáveis em vir e misturar-se com o público, é uma escolha delas", explicou Getz ao jornal local The Dickinson Press.

Um vídeo do concerto, publicado no YouTube, mostra as pessoas do público ombro a ombro, sem que ninguém esteja a usar máscara. Veja aqui: