Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

O que defende o “presidente” Kanye West. Anti-vacinas, anti-aborto, anti-Biden

Numa entrevista à Forbes, Kanye West revela mais claramente a sua ideologia. E pode, afinal, não se ter afastado realmente de Trump

Kanye West deu uma entrevista à revista Forbes, na qual falou abertamente sobre a sua candidatura à presidência dos Estados Unidos.

O rapper afirmou que se irá candidatar sob a bandeira do "Partido Aniversário" (Birthday Party no original, "festa de anos" em tradução livre), já que caso vença "será como se toda a gente fizesse anos".

Tendo como slogan a mera palavra "Sim", Kanye não se mostrou preocupado com o facto de ter falhado vários prazos para a inscrição da sua candidatura, dizendo que iria "falar com Jared Kushner, com a Casa Branca, com [Joe] Biden" para ser acrescentado aos boletins de voto.

Sobre Joe Biden, candidato pelo Partido Democrata, Kanye não deixou palavras elogiosas: "O Obama é especial, o Trump é especial. Dizemos que o Kanye West é especial. A América precisa de pessoas especiais, que a liderem. O Joe Biden não é especial".

Ao declarar-se contra o candidato democrata, e tendo em conta ao apoio expresso a Trump nos último anos, Kanye West parece querer fortalecer o lado republicano da balança numa altura em que a crise da Covid-19 fez o actual presidente descer vários degraus nas sondagens.

O músico anunciou ainda que pretende acabar com a violência policial, acrescentando que "os polícias também são pessoas". E mostrou-se contra a pena de morte, "porque estou a seguir o que a Bíblia me diz", ao mesmo tempo que pretende "reinstaurar o amor e o temor a Deus nas nossas escolas e organizações".