Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Paris Jackson no programa do "Unfiltered: Paris Jackson & Gabriel Glenn" do Facebook Watch

“Um primo meu chamou-me gorda”. Paris Jackson recorda o momento traumático que deu início à espiral de autodestruição

A filha de Michael Jackson recorda o trauma que a levou a fazer mal a si própria e a tentar suicidar-se, várias vezes, durante a adolescência

Paris Jackson, filha do falecido rei da pop, Michael Jackson, recordou o momento traumático que a levou a começar a magoar-se e a tentar suicidar-se várias vezes durante a adolescência. Numa conversa com o namorado, filmada para a série documental "Unfiltered: Paris Jackson & Gabriel Glenn" que estreou recentemente no Facebook Watch, a jovem de 22 anos explicou que foi um comentário depreciativo de um primo que a fez entrar na espiral de autodestruição.

"Ganhei muito peso e comer tornou-se um vício... e depois um primo chamou-me gorda e eu pensei 'OK, não posso fazer isto mais'", começou por dizer Jackson depois de explicar que o episódio aconteceu depois da morte do pai, em 2009, quando se mudou para casa da avó. "Foi assim que comecei a fazer mal a mim própria. Cortava-me e queimava-me", continua, "nunca pensei que fosse morrer devido a isso porque era eu que controlava a navalha e sabia o quão fundo estava a cortar".

A artista explica que tinha tudo a ver com libertação de dopamina: "coisas como a comida, o sexo, as drogas, a música, fazer exercício... há muita coisa que causa libertação de dopamina". "E também era uma forma de me distrair e abafar a dor emocional, transferindo-a para uma dor física e necessidade de controlar tudo", acrescentou, "depois tentei matar-me várias vezes. Não conseguia aguentar mais". Recorde-se que a primeira vez que o tentou fazer foi em 2013, quando tinha 15 anos, cortando os pulsos e tomando demasiados analgésicos.