Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Jamie Wood, à esquerda

Getty Images

Viciado em heroína aos 14 anos, filho de Ronnie Wood desabafa: "Ser criado por um Rolling Stone quase me matou"

Confissões de Jamie Wood, hoje com 45 anos

Jamie Wood, filho mais velho de Ron Wood, deu uma longa entrevista ao Daily Mail, explicando como as drogas fizeram parte da sua infância e juventude.

"Na minha família, as drogas eram normais. Foram parte integrante da minha educação. Ninguém deixava os filhos vir a minha casa depois das aulas", revela o filho do músico dos Rolling Stones.

Filho de Jo Wood e do seu primeiro marido, mas perfilhado e criado por Ron Wood, Jamie Wood diz que consumiu heroína e cocaína entre os 14 e os 20 anos e que há três anos, aos 42 anos, quase morreu de ataque cardíaco.

Desde então, Jamie Wood diz que deixou de fumar canábis e tabaco.

"Quando era criança, cheirava sempre a canábis em casa. Quando tinha 9 ou 10 anos, encontrava cinzeiros cheios de charros e servia-me", recorda o antigo roadie de Harvey Goldsmith, organizador do Live Aid, que também chegou a trabalhar para os Rolling Stones.

"Cresci naquele ambiente. Achava que drogar-me era normal", remata. "Os meus pais sabiam, mas tinham consciência que eu iria tomar as minhas próprias decisões. Quando tinha 16 anos, o meu pai [Ron Wood] veio falar comigo e disse-me: 'diverte-te, mas não deixes que as drogas controlem a tua vida. Tu é que controlas as drogas!'".

Jamie Wood acredita que o pai mudou muito e é agora, aos 73 anos, um pai dedicado das gémeas Alice e Gracie, de quatro anos.