Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Foto de Arquivo/Getty Images

Um morto, uma violação e três esfaqueamentos em “raves da quarentena” no passado sábado

6 mil pessoas participaram nas chamadas “raves da quarentena”, eventos ilegais que tiveram lugar no passado sábado na cidade inglesa de Manchester

A zona metropolitana de Manchester foi este fim de semana palco para duas raves ilegais, que não terminaram da melhor forma.

Um homem terá morrido de uma sobredose de drogas, uma mulher foi violada e três pessoas foram esfaqueadas nestas "raves da quarentena", que juntaram mais de 6 mil pessoas no Daisy Nook Country Park e em Carrington.

Os incidentes foram confirmados pelas autoridades, que avançaram também que uma das vítimas de esfaqueamento se encontra em estado considerado muito grave.

O Reino Unido é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, e a decisão de fazer duas raves em plena pandemia foi veemente criticada por Sacha Lord, co-criador do festival Parklife.

"Se és um dos imbecis que foi a uma das raves ilegais, és miserável", escreveu, no Twitter. "Puseste a tua vida em risco, bem como a da tua família e a dos teus entes queridos. Não são clubbers, são uns idiotas egoístas".