Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Lady Antebellum

Os Lady Antebellum mudaram de nome. O problema é que o novo nome já tem dono

Quando uma banda pensa que está a fazer a coisa certa, só que não

A banda country norte-americana Lady Antebellum anunciou, esta semana, que iria mudar de nome na sequência dos protestos contra o racismo sistémico e a violência policial que têm assolado os Estados Unidos, ao longo das últimas semanas.

Porém, a boa-vontade do grupo esbarra agora no nome escolhido, Lady A, que já é utilizado há mais de 20 anos pela cantora blues Anita White.

Em entrevista à Rolling Stone, White diz não ter sido contactada por ninguém ligado aos Lady Antebellum, e garante que não irá deixar de utilizar o seu nome artístico.

"Que nem sequer me tenham contactado é privilégio puro", desabafou. "Não vou ficar quieta e deixar que isto me aconteça".

A cantora criticou, também, a mudança de nome da banda: "É só uma oportunidade para fingirem que não são racistas ou para fingirem que [os protestos] têm algum significado para eles. Se assim fosse, o George Floyd não deveria ter tido que morrer para que percebessem que tinham uma referência à escravatura no nome".

Os Lady Antebellum já reagiram, através de um representante do grupo, que afirmou que a decisão de mudar o nome para Lady A foi fruto da ignorância. O grupo pretende, ainda, entrar em contacto com Anita White.

Recorde-se que "Antebellum South" é uma expressão utilizada para descrever o período de crescimento económico, sustentado sobretudo na escravatura, nos territórios mais a sul dos Estados Unidos, antes da Guerra Civil.

"Estamos profundamente arrependidos e envergonhados de não termos pensado nas associações que pesam sobre esta palavra", escreveram os Lady Antebellum num longo comunicado partilhado nas redes sociais.