Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Phoebe Bridgers

Fascinante e poderosa, Phoebe Bridgers é a nova menina-maravilha do indie de hoje. “É mais fácil viver no presente quando não há futuro”

Com apenas 25 anos, a californiana Phoebe Bridgers é uma das mais fascinantes figuras do indie de 2020. “Punisher”, o seu segundo álbum, é tão poderoso como comovente. “Já sentia que a sociedade estava a regredir e agora isso é mais predominante”, diz-nos

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Um ambiente enganadoramente pacato, que facilmente descamba para o sinistro; uma voz cantada que é doce mas assertiva, e bem menos grave do que a que lhe ouvimos quando conversa connosco ao telefone; melodias sussurradas que se embrenham na memória de quem as escuta e se vão revelando em riqueza e impacto emocional. Aos 25 anos, Phoebe Bridgers chega ao segundo álbum (“Punisher”, nas lojas na próxima sexta-feira) com uma cartilha facilmente reconhecível.

Em 2017, conquistou fãs com naturalidade; as canções que inscreveu em “Stranger in the Alps”, o seu longa-duração de estreia, seriam suficientes para lhe garantir uma falange de seguidores, mas à escrita inspirada por Elliott Smith ou Conor Oberst, dos Bright Eyes, a miúda da Califórnia junta outros atributos, como carisma a rodos e uma facilidade muito millennial na arte de navegar a internet e as redes sociais.

Como se todo este talento em nome individual não bastasse, a jovem que estudou jazz vocal numa escola artística de Los Angeles brilha ainda em modo coletivo: em 2018, juntou-se a outras mulheres de força na banda Boygenius, onde divide protagonismo e canções com Julien Baker e Lucy Dacus, e em 2019 cumpriu um sonho de adolescência ao formar uma banda com Conor Oberst. Better Oblivion Community Center, nome da dupla e do disco, provou ser bem mais do que o típico projeto paralelo, maravilhando os apreciadores de indie rock luminoso e desaguando nas melhores canções a que Oberst, de 40 anos, deu voz em muito tempo.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler. Para aceder a todos os conteúdos exclusivos do site do Expresso também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso.

Caso ainda não seja assinante, veja aqui as opções e os preços. Assim terá acesso a todos os nossos artigos.