Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Kanye West

Pierre Suu/Getty Images

Kanye West vira costas a Trump e marcha contra ele em manifestação antirracista

Depois de uma semana de silêncio, Kanye West, apoiante confesso do presidente dos Estados Unidos, juntou-se às manifestações antirracistas

Kanye West manteve-se em silêncio durante uma semana, mas juntou-se esta quinta-feira às manifestações antirracistas em Chicago, cidade onde cresceu. Recorde-se que West nunca escondeu o facto de ser apoiante de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, que está contra a reação nas ruas à morte do cidadão afro-americano George Floyd às mãos da polícia, na semana passada.

Baseando-se em relatos de pessoas que estiveram na manifestação, amplamente composta por estudantes, o site TMZ escreve que West usou uma máscara facial e uma camisola com capuz e não falou, abandonando o local em menos de 30 minutos. A organização não confirmou a sua presença mas falou de um "convidado especial".

Segundo o TMZ, o rapper, considerado pela revista Forbes como a celebridade mais rica da música em 2020, doou dois milhões de dólares (quase um milhão e 800 mil dólares) para ajudar as famílias e as suas equipas de advogados de afro-americanos assassinados recentemente, casos de George Floyd, Ahmaud Arbery e Breonna Taylor.

Por seu lado, a mulher, Kim Kardashian, tem-se manifestado nas redes sociais: "ao longo dos anos, a cada assassinato horrífico de homens, mulheres ou crianças negras, tentei sempre encontrar as palavras certas para exprimir as minhas condolências e fúria, mas o privilégio da minha pele deixou-me sempre a pensar que não é uma luta que eu posso travar. Mas hoje já não sinto isso. Tal como muitos de vocês, estou zangada. Estou mais do que zangada. Estou enfurecida e enojada".