Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Carlão fala sobre Black Lives Matter: "São séculos a tratar as pessoas negras como animais"

O músico partilhou com os seguidores uma longa mensagem, em vídeo, sobre a morte de George Floyd e o movimento Black Lives Matter

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Carlão partilhou, no seu Instagram, uma longa mensagem em vídeo sobre a morte de George Floyd às mãos da polícia norte-americana e o contexto histórico do movimento Black Lives Matter.

"Sinto-me obrigado a fazer uma coisa que raramente faço: partilhar umas palavras com vocês", começa o músico por dizer.

"Muitas pessoas não enquadram bem o que se está a passar, por falta de contexto, talvez. Os Estados Unidos têm raízes profundamente racistas; foram erigidos através da mão de obra de escravos negros e durante séculos foram tratados... nem como animais, que os animais tinham mais direitos que a população negra, nos Estados Unidos".

"A abolição da escravatura não tornou tudo um mar de rosas, pelo contrário; houve muito ressentimento e pessoas cujo império dependiam da mão de obra grátis dos escravos descendentes de africanos viram esses impérios sofrer uma grande razia", sublinha Carlão.

"A abolição da escravatura veio dar espaço a movimentos como o Ku Klux Klan, intimamente ligados às autoridades, nomeadamente à polícia. Isto tudo vem de há muitos anos. Infelizmente as autoridades norte-americanas têm uma forte toada racista, que tem vindo a ser passada de pai para filho, há séculos", acredita.

Sobre o slogan Black Lives Matter, contestado por aqueles que ripostam que todas as vidas importam, argumenta Carlão: "Black Lives Matter porquê? Porque é das black lives que estamos a falar. Não são todas as vidas que estão em perigo e são sistematicamente violentadas e aniquiladas nos Estados Unidos. Na década de 1960, há 60 anos, os negros ainda não podiam frequentar a maior parte das escolas, não podiam sentar-se no mesmo sítio que um branco num transporte público, não tinham direito a uma série de serviços e viviam em condições sub-humanas. Não tinham os mesmos direitos que a população branca", resume.

"O movimento dos direitos civis veio mudar as coisas mas não mudou assim tanto, porque há coisas que estão muito entranhadas e precisam de uma revolução a vários níveis: uma revolução estrutural nas forças policiais, legais, por aí fora", acrescenta.

"Quando se fala em Black Lives Matter, é porque essas vidas é que têm vindo a ser exterminadas e incriminadas, muitas vezes sem direito a um julgamento justo. Pessoas que apanham perpétua ou pena de morte sem provas para tal - a história está repleta desses casos".

"Mantenham-se informados, vejam os números de pessoas assassinadas às mãos da polícia, injustamente incriminadas: são séculos de tratar pessoas [negras] como animais. É isso que as pessoas querem parar agora. As black lives têm de ser protegidas e defendidas, nem mais nem menos que as outras".

Veja aqui a mensagem de Carlão: