Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Lana Del Rey: “Deus vos abençoe e vão se lixar se não gostaram do post”. A polémica continua

“Quando vou para o varão, sou prostituta. Quando é a FKA Twigs, faz arte”, desabafa Lana Del Rey. “Eu não sou o inimigo e não sou definitivamente racista, por isso não distorçam as coisas”

Lana Del Rey voltou à carga no Instagram, após ter sido acusada de racismo.

A cantora norte-americana tem aproveitado os últimos dias para responder aos seus críticos, recorrendo desta feita a um vídeo de seis minutos onde se defende das acusações e anuncia, também, o título do seu próximo álbum: "Chemtrails Over the Country Club".

"Não quero estar a bater na mesma tecla, mas quero lembrar-vos que a publicação que fiz é sobre a necessidade de fragilidade no movimento feminista", afirmou.

"Referi mulheres que se parecem comigo. Mulheres que as outras pessoas vêem e pensam, 'ela merece'. E acho isso triste. São minhas amigas, companheiras e contemporâneas. A diferença é que quando vou para o varão, sou prostituta. Quando é a FKA Twigs, faz arte".

"Quero só dizer que a cultura está muito doente. Querem tornar as minhas citações, a minha luta pela fragilidade numa guerra entre raças? Isso é horrível", continuou, acabando a citar o nome de Marianne Williamson, ex-candidata à presidência dos Estados Unidos e defensora da ideia de indemnizar os negros norte-americanos pelo período da escravatura.

A autora de "Norman Fucking Rockwell" terminou em tom de desafio: "Às mulheres que são como eu, boas raparigas, bem-intencionadas, que são constantemente lixadas por esta cultura por dizerem o que sentem: estou convosco, sinto por vós, e sei que sentem por mim", disse.

"Peço desculpa por não ter acrescentado uma pessoa 100% caucasiana à lista das pessoas que admiro, mas isso diz mais sobre vós do que diz sobre mim".

Lana Del Rey revelou, ainda, que o seu número de telefone foi colocado na internet, o que a levou a receber vários comentários maldosos - como "sua cabra branca estúpida". "Mas isso não me irá travar, ponto", acrescentou.

"Eu não sou o inimigo e não sou definitivamente racista, por isso não distorçam as coisas. Ninguém conta a vossa história a não ser vocês mesmos. É o que irei fazer. Deus vos abençoe e vão se lixar se não gostaram do post", rematou.