Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Castelo de Rheinsberg

DR/Creative Commons

Orquestra boliviana de flautas de pan está presa em castelo alemão rodeado por lobos

Depois dos festivaleiros que ficaram presos num festival do Panamá, esta é uma das histórias mais bizarras da quarentena

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Uma orquestra boliviana está a ser notícia, por ter ficado "presa" na Alemanha quando as fronteiras se fecharam, devido à pandemia de covid-19.

Segundo a BBC, a Orquestra Experimental de Instrumentos Nativos estava naquele país para uma digressão de duas semanas, mas não chegou a dar um único concerto.

Há cerca de dois meses que os músicos estão num castelo que funciona como hostel, o Palácio de Rheinsberg, a hora e meia de Berlim.

Para passar o tempo, os elementos da orquestra ensaiam três horas de manhã e três horas à tarde, explorando também as redondezas, onde vivem 23 alcateias de lobos.

Diz a lenda que o castelo é ainda alegadamente assombrado pelo fantasma de Frederico, o Grande (1740 - 1786), curiosamente um grande fã de música.

Apesar de a Alemanha já ter entrado em desconfinamento, os aeroportos bolivianos ainda estão fechados a voos internacionais, pelo que a orquestra não pode voltar para casa.

A estada prolongada dos bolivianos no castelo custa mais de 35 mil euros por mês e está a ser paga pelo diretor de um dos festivais em que a orquestra iria atuar.