Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Ex-vocalista dos Van Halen desvaloriza o novo coronavírus. “É uma constipação ou uma gripe”

Aos 72 anos, Sammy Hagar acredita que não será necessário esperar por uma vacina para os concertos voltarem a acontecer. “Toda a gente apanha sempre qualquer coisa”

Sammy Hagar, ex-vocalista dos Van Halen, deu uma entrevista à revista Rolling Stone na qual descreve o novo coronavírus como uma simples "gripe".

As palavras do músico surgiram no contexto de um hipotético regresso aos palcos, com Hagar a afirmar que não irá esperar por uma vacina para a Covid-19 para voltar a dar concertos.

"Se tudo isto se acalmar, não me importava de dar um concerto num anfiteatro ao ar livre", explicou. "Já falei com os promotores e os donos desses anfiteatros. Num grande local ao ar livre, e vender só 10 mil lugares de 19 mil disponíveis".

Mas, acrescentou, "quero ter a certeza de que não há uma escalada", remetendo o concerto para quando o vírus "pareça estar a desaparecer".

"É como uma gripe, acho eu, a não ser que haja algo que eu não saiba. É como uma constipação, uma pneumonia. Toda a gente apanha sempre qualquer coisa".

Hagar falou ainda do impacto económico provocado pelo vírus, deixando uma afirmação polémica no ar: "sinceramente, prefiro ficar doente e morrer. Temos de salvar o mundo e o país da ruína financeira, que vai matar mais gente", disse.