Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Foals

Foals, cabeças de cartaz do Super Bock Super Rock, adiam digressão europeia

A banda inglesa, primeiro cabeça de cartaz anunciado para o festival do Meco, adiou os concertos que tinha agendados para o próximo verão, devido à pandemia de covid-19. A Música no Coração, organizadora do festival, afirmou não ter confirmação do adiamento anunciado pela banda

Os britânicos Foals anunciaram hoje que adiaram para 2021 a digressão que estava prevista para este verão na Europa, mas não há qualquer referência ao concerto em julho no festival Super Bock Super Rock (SBSR).

De acordo com a página oficial do grupo, vários concertos que estavam agendados para este ano foram adiados para 2021, por causa da covid-19, nomeadamente datas nos Reino Unido, França, Holanda, Alemanha e Suíça.

Os Foals foram a primeira banda a ser anunciada, em novembro passado, para o festival SBSR, marcado para julho próximo, em Sesimbra. Contactada pela agência Lusa, fonte da promotora Música no Coração disse não ter confirmação do adiamento anunciado pela banda.

O festival SBSR está anunciado para os dias 16 a 18 de julho, perto da praia do Meco, Sesimbra, e os Foals são apresentados como um dos cabeças-de-cartaz, juntamente com nomes como ASAP Rocky, Brockhampton e Red Orange County.

Por causa da pandemia da covid-19, e das medidas de segurança para a conter, milhares de espetáculos têm sido adiados a nível global. Do calendário português de festivais de verão há vários eventos que também já foram cancelados ou adiados, nomeadamente o Rock in Rio Lisboa, o Boom Festival e o Festival Músicas do Mundo.

Na semana passada, vários empresários e promotores de espetáculos e de festivais de música tiveram uma audiência com o primeiro-ministro, António Costa, mas no final não revelaram o que vai acontecer ao calendário de eventos.

Já o primeiro-ministro afirmou, primeiro no Twitter e depois numa entrevista na RTP, que o Governo iria procurar "soluções que minimizem os impactos da crise provocada pelo covid-19 no setor", e que havia uma "enorme probabilidade" de os festivais não acontecerem este ano. Na audiência estiveram presentes os promotores Álvaro Covões, Roberta Medina, Luís Montez, João Carvalho, Filipe Lopes e Jorge Lopes.