Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Dante Mantovani

dantemantovani.org

Demissão de maestro brasileiro que acredita que o rock é obra do demónio foi anulada por Bolsonaro

Dante Mantovani, maestro que defende que o rock leva ao satanismo, foi reconduzido pelo presidente do Brasil para um cargo importante ligado à cultura

Dante Mantovani, o polémico maestro brasileiro que acredita que o rock é obra do demónio, foi reconduzido por Jair Bolsonaro ao cargo de presidente da Funarte, Fundação Nacional de Artes, órgão responsável pelo desenvolvimento de políticas públicas de apoio à cultura no Brasil.

O maestro de 35 anos tinha sido demitido pela atriz Regina Duarte aquando da sua nomeação para Secretária Especial da Cultura, em março. Esta decisão, acreditam os media brasileiros, comprova a fragilidade de Duarte no cargo governamental que ocupa.

Recorde-se que Mantovani partilhou no seu canal no YouTube declarações que se tornaram polémicas: "o rock ativa a droga, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto. A indústria do aborto por sua vez alimenta uma coisa muito mais pesada que é o satanismo. O próprio John Lennon disse que fez um pacto com o diabo".