Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Rita Carmo

Concertos abrem a 1 de junho com severas limitações. Festivais ainda sob estudo

O governo já anunciou as medidas de desconfinamento programadas para as próximas semanas, mas nada é adiantado sobre grandes eventos de música

No plano de desconfinamento resultante do Conselho de Ministros desta quinta-feira, 30 de abril, lê-se que os eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas estão proibidos.

No que diz respeito à cultura, fica a saber-se que as bibliotecas e arquivos abrem a 4 de maio; os museus, monumentos e palácios, as galerias de arte, salas de exposições e similares abrem a 18 de maio; e a 1 de junho serão abertos os cinemas, as salas de espetáculos e auditórios que tenham lugares marcados, respeitando uma lotação reduzida e distanciamento físico.

Na Assembleia da República, ainda antes de o primeiro-ministro, António Costa falar à imprensa no Palácio da Ajuda, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, referiu que tal como os teatros, os auditórios e salas de espetáculos serão abertos com “limitações à sua lotação”.

Sobre os grandes festivais de verão, ainda não são avançadas quaisquer medidas. Respondendo a questões dos jornalistas, após a sua comunicação, António Costa referiu que “provavelmente na próxima semana” o Governo tomará “uma decisão pública” sobre os mesmos.