Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Maioria dos norte-americanos só voltará a um concerto quando houver vacina para a covid-19

Sondagem da Reuters revela relutância em voltar a assistir a espetáculos de música ao vivo num contexto de convivência com o novo coronavírus

Uma sondagem levada a cabo pela agência Reuters, em parceria com o Instituto Ipsos, revela que a grande maioria dos norte-americanos não tenciona voltar a assistir a um espetáculo de música ao vivo enquanto não existir uma vacina para a Covid-19.

A sondagem, que se realizou entre os dias 15 e 21 de abril, baseou-se nas respostas fornecidas por 4429 norte-americanos em idade adulta. Para além da música, estes foram também questionados sobre se assistiriam a eventos desportivos ou frequentariam um cinema antes de uma vacina.

Entre os que afirmaram assistir regularmente a espetáculos de música, apenas 40% disseram que voltarão a fazê-lo apesar do risco. Outros 40% afirmaram que ficarão em casa, e os restantes 20% dizem não saber o que fazer - ou garantem que nunca mais assistirão a um concerto ao vivo.

A maioria dos inquiridos (59%) disse ainda que os parques temáticos não deverão reabrir até que haja uma vacina, e apenas 27% pondera regressar aos cinemas. A percentagem é ainda mais reduzida no que toca ao desporto: só 17% dos norte-americanos voltará a um recinto desportivo antes de uma vacina.