Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Quando Dave Navarro deixou a Fiona Apple uma mensagem escrita a sangue

Nos anos 90, o guitarrista de Jane's Addiction e Red Hot Chili Peppers era a personificação do excesso rock and roll. Fiona Apple tinha acabado de sair da adolescência

O jornalista Drew Fortune editou, em 2019, um livro intitulado "No Encore!: Musicians Reveal Their Weirdest, Wildest, Most Embarrassing Gigs", que reúne entrevistas feitas com várias estrelas do rock.

Uma delas foi Dave Navarro, ponta-de-lança do excesso rock dos anos 90, e que narrou uma história que envolve Fiona Apple e uma mensagem escrita a sangue - o seu -, publicada pelo Consequence of Sound.

A história remonta a um concerto especial de Natal, acústico, que contava com a cantora e com os Jane's Addiction no alinhamento. "Eu era fã dela, e tinha uma paixoneta por ela", narrou Dave.

Antes de atuar, o músico passou o dia a injectar-se com cocaína e heroína, enchendo uma seringa com sangue. "A meio da minha loucura, pensei que entrar no camarim dela e escrever-lhe uma mensagem na parede, com o meu próprio sangue, seria um gesto muito romântico", relatou.

"Era o sangue que me dá vida aquilo que eu, simbolicamente, partilhava. Pensei que nos iríamos entender aos mais variados níveis, porque somos músicos e artistas com paixão. Na minha cabeça, era um grande gesto romântico, que ela acharia tocante".

Tal acabou por não ser o caso: segundo Navarro, a gerência do anfiteatro onde os concertos se dariam viu a mensagem na parede e questionou o músico. Uma hora depois, uma equipa da polícia forense entrou nos camarins de Fiona Apple para o desinfetar.

"No meu estado drogado, não conseguia compreender porque é que uma mensagem escrita a sangue, vinda de alguém que ela nunca conhecera, poderia ser assustadora", continuou. "Se alguém fizesse isso comigo, eu teria achado incrível. Isso mostra o quão doente estava".