Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Clã

Nuno Marques

A “sensação estranha” que a saída de dois músicos deixou nos Clã, após quase 30 anos. “Ficou a questão se a banda continuava ou não”

Manuela Azevedo explica as razões que levaram à saída de Pedro Rito e Fernando Gonçalves, após quase três décadas de Clã. Para ouvir no podcast Posto Emissor

Ao fim de quase 27 anos nos Clã, dois dos seus músicos, o baixista Pedro Rito e o baterista Fernando Gonçalves, deixaram a banda.

Apesar de o processo ter sido pacífico, não deixou de causar alguma estranheza, confessa Manuela Azevedo no Posto Emissor, podcast semanal da BLITZ.

"Depois de tantos anos juntos, é normal que fique uma sensação estranha. Mas não houve tristeza nem amargura. Eles tinham projetos pessoais que lhes tiravam tempo e disponibilidade", explica.

"Ficou a questão se a banda continuava ou não. Estando juntos há tanto tempo, podia não fazer sentido continuarmos. Mas mesmo para os que saíram, pareceu-lhes que seria um desperdício ficarmos pelo caminho".

As razões para os Clã continuarem e a "sorte" que a banda teve em encontrar dois músicos "incríveis" para o lugar de Pedro Rito e Fernando Gonçalves, aos 27 minutos.