Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Billy McFarland

Patrick McMullan/Getty Images

O famigerado organizador do Fyre Fest, o festival-catástrofe, quer sair da prisão por receio do coronavírus

Billy McFarland, preso por fraude, que ser libertado mais cedo por receios de contrair o novo coronavírus

Billy McFarland, um dos organizadores do festival-catástrofe Fyre Festival, está a pedir para sair mais cedo da prisão, onde se encontra a cumprir uma pena de seis anos por fraude, por temer ser infetado com o novo coronavírus.

Segundo o site TMZ, os advogados defendem, no pedido enviado ao tribunal, que McFarland tem problemas de saúde preexistentes (asma, alergias e problemas cardíacos) e que a prisão onde se encontra, a Federal Correction Institution em Elkton, Maryland, é um grande foco de contaminação: há 36 presos e 26 funcionários da instituição infetados, tendo já morrido seis pessoas.

Os advogados citam também, como precedente, a recente libertação do rapper Tekashi 6ix9ine (também R Kelly já pediu para ser libertado, mas o pedido foi recusado). A sentença de McFarland - foi condenado a 11 de outubro de 2018 - só termina em agosto de 2023, tendo cumprido já 22 meses de prisão e nove meses em isolamento numa unidade especial.

Em 2021, poderá pedir para ficar em prisão domiciliária e, devido a isso, McFarland escreveu uma carta ao juiz dizendo que o seu pedido de libertação se deve à "gravidade da situação na FCI Elkton, aos perigos de saúde a que estou exposto por estar aqui e à forma como posso contribuir positivamente se estiver detido em casa".