Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Miley Cyrus

Getty Images

“Deixei a igreja devido à sexualidade. Enviavam os meus amigos gay para terapias de conversão”. A difícil relação de Miley Cyrus com Deus

A cantora norte-americana Miley Cyrus criou um talk show no Instagram em "tempos negros" de Covid-19 e falou com Hailey Bieber sobre a sua relação problemática com a religião

Miley Cyrus criou um talk show chamado "Bright Minded: Live With Miley" no Instagram para ajudar a aliviar os "tempos negros" de Covid-19 e tem falado com alguns dos seus amigos mais conhecidos sobre várias temáticas. Há dois dias, uma das suas convidadas foi Hailey Bieber, modelo e mulher de Justin Bieber, e a conversa passou pela relação que ambas têm com a religião.

Ambas tiveram uma educação religiosa, mas se Bieber diz ter encontrado, depois de se ter tornado adulta, uma relação muito pessoal com "Deus e Jesus e a espiritualidade", Cyrus diz ter tido muitas dificuldades em criar uma fé diferente depois de ter sofrido com algumas posições da Igreja quando era mais nova.

"Foi muito difícil para mim, enquanto adulta, encontrar uma relação com Deus que funcionasse comigo", começa por dizer a cantora de 'Wrecking Ball', "aquilo que retirei daquilo que disseste é que me é possível decidir qual é a minha relação com a espiritualidade enquanto adulta que não tem de estar alinhada com a forma como era quando eu era pequena".

Cyrus, que se assumiu como pansexual, ou seja, alguém que sente atração sexual ou emocional por pessoas, independentemente do seu sexo ou identidade de género, termina dizendo: "tinha alguns amigos gay na escola e foi por eles não serem aceites que deixei a minha igreja. Eles eram enviados para terapias de conversão... E também passei por um período difícil ao descobrir a minha sexualidade".

Ouça e veja o episódio inteiro no vídeo abaixo.