Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Amazon deixa de vender CDs e vinil

Novo golpe na indústria da música em tempos de Covid-19

A Amazon suspendeu, de forma temporária, a venda de produtos que não sejam "caseiros", "médicos" ou "de elevada procura", tanto na Europa como nos Estados Unidos, escreve o Financial Times.

Quer isto dizer que bens como CDs ou discos de vinil não irão ser vendidos pela Amazon até ao fim desta suspensão, decretada devido ao novo coronavírus, que não deverá acontecer antes do dia 5 de abril.

Esta medida poderá aumentar ainda mais a crise na indústria da música, provocada pelo cancelamento de diversos concertos e digressões por causa do vírus.

Retalhistas como a FNAC irão, também, encerrar temporariamente as suas lojas em países como a França Espanha e Bélgica, de acordo com o Music Business Worldwide. Na Itália, Suíça e Áustria as grandes retalhistas já se encontravam encerradas ao público.

Na Alemanha, foi decretado o encerramento de lojas, centros comerciais e outlets, de forma a "reduzir o contato social" - medidas que a chanceler alemã, Angela Merkel, decretou como "necessárias".

Nos Estados Unidos, lojas como a Walmart e a Target reduziram os seus horários de trabalho, e no Reino Unido as grandes cadeias de supermercados deslocaram os funcionários das áreas do entretenimento para as da alimentação e bens essenciais.

Em declarações ao Music Business Worldwide, uma fonte ligada à indústria musical descreveu a situação como "uma tragédia atrás da outra".