Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Estados Unidos: todos os grandes concertos e digressões cancelados pelo menos até abril

As maiores promotoras e agências de concertos do mundo ordenaram aos seus artistas que voltassem para ‘casa’ devido ao Covid-19

A Live Nation e a AEG, as duas maiores promotoras de concertos nos Estados Unidos, irão interromper todos os concertos e digressões de grande escala até abril.

Em causa estão os receios em torno do novo coronavírus, tendo estas duas promotoras já pedido aos artistas que representam para que estes voltassem para "casa".

Avança a Rolling Stone que as duas promotoras falaram com as maiores agências de booking no país, com as quais traçaram um plano em conjunto de forma a lidar com esta situação.

Num comunicado conjunto, os responsáveis da Live Nation, da AEG, da Creative Artists Agency, da William Morris Endeavor, da Paradigm e da United Talent Agency afirmaram estar a trabalhar "para resguardar os artistas, os fãs e os trabalhadores da indústria dos concertos ao vivo".

"Nesta altura, recomendamos que os eventos de grande escala agendados até ao fim de março sejam adiados", pode ler-se. No que toca a concertos de menor dimensão, estas empresas recomendam para que sejam seguidas "as recomendações feitas pelos governos locais".

Uma fonte da Live Nation, que esta semana sofreu uma forte queda na bolsa e que é detentora de uma posição maioritária na holding do Rock In Rio, afirmou à Rolling Stone que a promotora tem esperança que as digressões possam ser retomadas em abril.

O COVID-19 está a provocar algum pânico na indústria da música, tendo sido já adiados e cancelados vários festivais e digressões, não só nos Estados Unidos como na Europa e Ásia.