Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Emmy Curl

Rita Carmo

Concertos sem público, transmitidos pela internet. Já é tendência na China e pode chegar a Portugal

Músicos encontram novas formas de dar espetáculos ao vivo, em países onde ajuntamentos estão proibidos, em virtude do novo coronavírus. "É como ir a uma festa de karaoke ou estar num mosh pit sem sair de casa". Em Portugal, Emmy Curl (Catarina Miranda) pondera fazê-lo a partir de Trás-os-Montes

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

País onde se verificou o primeiro foco de infeção do novo coronavírus, a China está a encontrar formas de colmatar a proibição de ajuntamentos e, consequentemente, de concertos.

Segundo uma reportagem do site Hyperallergic, não há concertos naquele país desde o final de janeiro. Por isso, muitos músicos - de numerosos géneros musicais - começaram a dar concertos sem público, transmitindo-os na net, em streaming.

A ideia surgiu dos responsáveis da VOX Livehouse, uma sala de espetáculos dedicada ao punk, sediada em Wuhan, a cidade onde surgiu o primeiro surto do novo coronavírus.

De acordo com este artigo, desde as primeiras experiências neste sentido já surgiram editoras discográficas, salas específicas para estes espetáculos, bares e promotoras dedicadas a organizar eventos sem público.

Entre os géneros abarcados estão, diz o Hyperallergic, a pop, o punk, o tecno e a música improvisada.

Para que a experiência seja um pouco mais comunitária, alguns sites fornecem uma funcionalidade de chat, para que os espectadores possam reagir, conviver e partilhar memes, comentários ou desenhos que façam, inspirados pela música. Por vezes, lê-se naquela reportagem, há tantos comentários que a própria transmissão fica comprometida. "É como ir a uma festa de karaoke ou estar num mosh pit sem sair de casa", disse ao site He Fan, um músico local.

Em Portugal, a artista Emmy Curl, que tinha vários concertos marcados para março, pondera transmitir uma atuação (sem público) a partir da sua cidade Vila Real, em Trás-os-Montes.

Também o Festival de Artes Performativas Periferias, de Sintra, vai disponibilizar online os espetáculos que tinha agendados para este fim de semana. "Devido às recomendações partilhadas pela Direção-Geral de Saúde, e tendo em conta o cariz internacional do festival, as atuações serão encerradas ao público e posteriormente colocadas online na página do festival, de forma a que público possa continuar a ter acesso à cultura", pode ler-se em comunicado.