Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Dave Hogan

Por que razão Freddie Mercury deixou a maior parte da fortuna à antiga namorada e não ao último companheiro

As duas relações mais longas da breve vida de Freddie Mercury não foram compensadas da mesma maneira na herança do líder dos Queen

Ainda que os dois não tivessem uma relação amorosa desde 1976, Freddie Mercury deixou a maior parte da sua herança a Mary Austin, ex-namorada e sua melhor amiga, e não a Jim Hutton, com quem viveu até morrer, em 1991.

Após a morte de Freddie, Mary Austin ficou com a mansão onde Freddie morava em West Kensington, juntamente com Jim e Joe Fanelli, um outro ex-namorado.

Também ficou com a maior fatia da fortuna do músico - dividida também pela família, amigos e funcionários -, e com metade dos lucros obtidos com a música dos Queen. Jim Hutton, que faleceria em 2010, ainda chegou a afirmar que a mansão lhe havia sido prometida, mas a casa não mudou de proprietário.

Em entrevista ao jornal Daily Express, Peter Freestone, antigo assistente pessoal de Freddie, explicou que este "sempre foi muito exigente [com este tipo de assunto], fazendo questão de deixar escrito tudo o que realmente queria que acontecesse, especialmente no que toca ao seu testamento", pelo que quaisquer "promessas" não formalizadas feitas pelo músico "não significam nada".

Antes de morrer, Freddie afirmou em entrevista que tudo o que tinha iria para Mary. "Acho isso muito significativo", rematou Freestone. "É o que ele sentia por ela".