Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

António Zambujo. Três anos depois de “Do Avesso”, Zambujo regressa com um novo álbum já no primeiro trimestre.

Rita Carmo

António Zambujo vence Prémio José Afonso

“Do Avesso”, melhor álbum português de 2018 para a BLITZ, valeu o galardão a António Zambujo

O álbum "Do Avesso" valeu a António Zambujo o Prémio José Afonso, atribuído pela Câmara Municipal da Amadora. O registo, considerado pela BLITZ o melhor álbum português de 2018, foi o vencedor da 31ª edição do prémio, que, desde 1988, premeia "um álbum inédito, editado no ano anterior ao da edição do Prémio, cujo tema tenha como referência a cultura e a história portuguesas" e atribui ao vencedor um prémio de cinco mil euros.

Segundo o comunicado enviado à imprensa, "Do Avesso" representa "não só a continuação do percurso extremamente coerente de António Zambujo, mas também um ponto alto pela confirmação das suas qualidades interpretativas e a grande inspiração criativa que revela. Cada canção de Zambujo conta uma história e cada álbum é, em si, uma história, na linha de José Afonso, para quem a música estava intrinsecamente ligada quer à sua vida interior quer às circunstâncias do mundo em que viveu".

A atribuição do prémio, por um painel de júri composto pela pianista Olga Prats, o professor de música Sérgio Azevedo e o vencedor do ano anterior Júlio Pereira, foi unânime. Também por unanimidade, os jurados atribuíram menções honrosas a "Infinito Presente" de Camané, "Maria" de Carminho, "Nação Valente" de Sérgio Godinho e "Ao Longe Já Se Ouvia" de Sopa de Pedra.

Entre os anteriores vencedores do Prémio José Afonso encontram-se Fausto ("Por Além das Cordilheiras", 1988), José Mário Branco ("Correspondências", 1992), Gaiteiros de Lisboa ("Bocas do Inferno", 1998), Janita Salomé ("Vozes do Sul", 2001), Deolinda ("Dois Selos e um Carimbo", 2011) e Gisela João ("Gisela João", 2014).